O Porto em vários sentidos

Ano de Edição: 1998

Encadernação: Capa Dura

Nº de Páginas: 152

Notas: Livro com dedicatória

Resumo:

“O Porto é hoje outro lugar. As típicas casas altas e estreitas, forradas de azulejos, só subsistem como panos de cena nas imediações da Cordoaria ou, por exemplo, na bela e esguia Cedofeita que mereceu o privilégio duma rua de peões. Há certos recreios da vista, que nem tudo são desgraças: o largo do Infante, à Ribeira, apresenta uma harmonia urbana em que se destacam as Igrejas, o Mercado da Fruta e o Palácio da Bolsa, solene e cobrindo o passeio com a escadaria de granito. O granito que é quase um campo do brasão da cidade.
“No Porto havia mistérios, em Lisboa há factos. No que no Porto era secreto, na capital é convertido em boato. Hoje, o Porto mudou a fisionomia mas não a alma em que se debatem as ambições e o espírito das leis. Para falar das cidades não há como desencadear os espíritos da gente obscura. Eu conheci muita, dessa que não teve honras na literatura, a gente enigmática das pequenas profissões. Vou dizer alguma coisa sobre ela. (…)”
Magníficos textos de Agustina Bessa-Luís, excelentes comentários de Eduardo Paz Barroso às muitas e muito belas fotografias a cores de Nicolas Sapieha, numa luxuosa edição, com texto também em inglês, assente sobre papel da melhor qualidade. Encadernação dos editores, com sobrecapa de protecção ilustrada a cores.

8.00 €